Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cantinho da Manu

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

Cantinho da Manu

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

Se estivesse entre nós faria hoje 50 anos

 

 

Hoje escrevo de Rolando Palma, do poeta, do escritor, do fotógrafo, falo da sua sensibilidade do seu coração enorme e generoso, falo da cumplicidade que nos ligava e sobretudo de um grande amigo.

 

Quis o destino que a morte trágica o levasse cedo demais, mas nem por isso deixará de permanecer na minha memória e na de muitos que o visitavam e que liam as suas histórias de encantar. Os comentários que deixava tinham sempre um conteúdo que nos deixavam a pensar e nada era dito ao acaso.

 

Lembro-me como se fosse hoje quando eu e a Libel nos encontrámos e conhecemos em Lisboa. O homem que imaginei por detrás das letras estava ali à minha frente igual a si próprio, de sorriso afável, de palavra fácil e de uma simplicidade arrebatadora.

 

A partir daí muitas mais vezes nos encontrámos, já que os pais tinham uma casa aqui bem perto de mim. De vez em quando chegava um telefonema:

-Manu vamos jantar? Manu vamos à Nazaré tirar fotos? Manu queres ir às pinhas comigo e com a prima Teresa? Manu vamos à feira a Palmela ter com o Jorge Soares?

Falávamos de tudo e sobre tudo, embora existissem temas que eram tabu e que eu respeitava, sobretudo quando se tratava de assuntos do coração.

 

De vez em quando lá vinha um desabafo, sabia pelo olhar que por detrás do sorriso pairava alguma tristeza, mas sempre deixei e respeitei seus silêncios.

 

Hoje estive a rever muitos dos comentários que me deixou e um deles dizia:

 

Ah, Manu...

No final de tudo, mesmo quando os caminhos se soltam ou descruzam...restam sempre as memórias. Somos memórias, os nossos tijolos são memórias, tudo o que deixamos nos outros são memórias.
A felicidade, tal como tudo ... é efémera. O tempo certo, o presente, é o único de que dispomos..

O passado, já passou .... e o futuro... amanhã falamos sobre ele.

Beijos.
Rolando

 

Hoje Rolando, não posso falar do amanhã apenas me resta recordar, não com tristeza, mas com um brilho nos olhos, porque sei, que estejas tu onde estiveres és uma estrela brilhante que acompanha o meu caminho e o de todos a quem brindaste com a tua amizade.

 

 

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil