Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cantinho da Manu

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

Cantinho da Manu

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

A Páscoa na minha infância

Depois de uma semana de preparativos para o Domingo de Páscoa, eu , os meus irmãos , a avó e a mãe metemo-nos ao caminho e percorremos os dois quilómetros que nos separavam da igreja da aldeia. O pai foi antes para poder dar  dois dedos de conversa com os amigos.

Fomos um pouco antes para tentar arranjar um banquinho , normalmente não havia lugares sentados para todos e neste dia a missa era particularmente demorada.

O senhor prior fazia uma homilia que parecia não ter fim, as crianças bocejavam , outras adormeciam, já sabíamos que era assim, se fosse hoje diríamos: "-que grande seca!", na altura se manifestássemos o nosso desagrado corríamos o risco de levar um tabefe.

Olhava de soslaio para os fatos novos das minhas amigas, havia de tudo ...rendinhas, folhinhos, pregas, soquetes brancos, um colorido que contrastava com os fatos dos adultos que tresandavam a naftalina.

Durante a semana havia sempre grande azáfama lá em casa.

Era a altura do ano em que se fazia "a limpeza grande". As paredes e tectos eram lavados com lixívia, o chão esfregado, as carpetes bem lavadas.

Todos tinham  uma tarefa, a mim era destinada a limpeza do pó,. Tentava fazer batota nos móveis mais trabalhados, mas a avó não deixava escapar nada.

Também me deixavam escolher os naperons para colocar nas mesinhas de cabeceira, nas cómodas e na sala. Escolhiam-se as colchas mais bonitas para as camas.

Á entrada da porta havia alecrim, o jardim era cuidadosamente tratado. Tudo tinha de estar impecável para receber a visita pascal.

Todas as crianças ansiavam pela visita do Sr. prior, que depois de balbuciar umas palavras em latim e espalhar um pouco de água benta na sala , atirava um punhado de amêndoas para o chão. As crianças adoravam este momento, eu e os meus irmãos, de gatas, tentávamos ver quem conseguia apanhar mais. Depois de alguns momentos de euforia era restabelecida a ordem, beijávamos  o crucifixo e despedíamo-nos.

De tudo isto , o que mais ficou gravado na minha memória foram sem dúvida os cheiros:

as roupas , as casas , os campos as flores...tudo era especial nesta altura do ano.

Ontem foi assim......hoje estou por aqui....

 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil