Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cantinho da Manu

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

Cantinho da Manu

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

Ausência

 

Hoje quero passar ao de leve pela vida, duvidar do meu eu, não ter consciência do momento e fugir da minha realidade. Quero vegetar irracionalmente e que as emoções me passem ao lado como se fosse uma brisa inofensiva que não deixa rasto.

Não quero lágrimas nem risos, nem sentidos despertos.

Quero que os olhos vejam sem olharem, quero semicerrá-los e não definir traços, contornos, cores...

Os ouvidos ficarão imunes ao som da música , do canto dos pássaros ou do barulho do mar.

Os meus braços desajeitados, flutuarão à deriva pelo meu corpo, sem encontrarem a solidez de um apoio, contorcer-se-ão, rodarão em movimentos desconexos e involuntários.

Quero planar acima da realidade,  que o corpo deixe de  ser. 

Quero ser embalada por uma lucidez irracional, ser envolvida, por um estado de semi inconsciência, um torpor e uma percepção indefinível de uma realidade recusada.

.Seduz-me esta fuga do real.

Os olhos que antes brilhavam com o nascer do sol, com o riso da criança, com a pequena flor que nasceu no meio do mato, a lua na noite calma, o mar em dias ensolarados, a pintura que está ali...deixaram de cumprir a missão de janelas para o mundo.

O conforto da ausência de emoções  é um estado ilusório de bem estar e de impunidade .

Observo lá do alto, alheia, imperturbável, intocável, saindo incólume de todas as agressões, gozando uma fuga que me atrai e que se confunde com a realidade. 

10 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil