Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cantinho da Manu

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

Cantinho da Manu

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

Tudo o que não me ensinaram

Os meus pais ensinaram-me a andar, pegaram-me na mão... desajeitadamente e aos tropeços dei os primeiros passos. Desviavam todos os obstáculos para que não caísse e diziam-me que não fosse por ali ou por acolá, os perigos espreitavam.

Comecei a andar sozinha, sabia que por detrás havia sempre uma mão estendida e isso dava-me uma segurança, que me fazia confiar e acreditar que eles estariam sempre por ali.

Mais tarde ensinaram-me a cuidar de mim e fizeram-me entender que deveria respeitar os outros, que devia estudar, cumprir todas as tarefas que iriam contribuir  para que conseguisse tornar-me numa pessoa de quem eles se pudessem orgulhar mais tarde, como se isso fosse a confirmação dos seus esforços e  sentissem que tinham cumprido a sua missão.de pais.

Veio a escola, a professora, os colegas...aprendi a ler, a escrever, a brincar, a partilhar...

Durante muitos anos aprendi aquilo que quiseram que eu soubesse, mas...o que nunca me ensinaram, foi como devia fazer para aprender a conviver com o sofrimento, com a dor , com a perda, com as ausências, com a saudade, com a mentira, com a traição, com a injustiça...

Não me ensinaram a descobrir quando me devia afastar de pessoas, que nunca me dariam motivos para sorrir.

Nunca me ensinaram a não amar quem não me ama, hoje tento amar mesmo sem ser amada, fazendo o meu exercício quotidiano para que consiga amar incondicionalmente.

Não me ensinaram a erguer depois da desilusão, a esquecer quem nunca se lembrou de mim, a perdoar erros irreparáveis, a esquecer mágoas, a conviver com a solidão imposta, a defender-me de agressões emocionais, a evitar a invasão do que melhor penso possuir, a minha identidade, o meu "EU".a minha auto estima e o respeito que tenho por mim.

Não me ensinaram como sobreviver depois de uma tempestade, nem sequer me disseram onde devia procurar refúgio, esconderam, não acredito que tenha sido de propósito, que o mundo que me mostravam era muito diferente daquele que iria encontrar um dia.

Se ao menos eu sentisse que quando estivesse em perigo tinha braços abertos para me ampararem!

Hoje não tenho pais, não tenho professores, tudo o que não me ensinaram, vou aprendendo, muitas vezes da pior forma, contudo, ainda me resta o melhor...  A VIDA.

 

Hoje aprendi a perdoar.

 

34 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

imagem de perfil