Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cantinho da Manu

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

Cantinho da Manu

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

Por que será que pedir desculpa é tão difícil?

Lembro-me da primeira vez em que pedi desculpa, tinha seis anos e aconteceu com a minha primeira professora quando ela se preparava para me dar umas reguadas, depois de uma colega me  acusar de ter copiado umas contas de dividir. O meu imenso orgulho teve de se desvanecer perante a humilhação que seria experimentar perante toda a turma um acto que nunca tinha acontecido e que eu nunca fiz por merecer.

 

Senti o meu coração encolher-se, mirrar-se, quase a desfazer-se e uma terrível luta interior perante um dilema que se me afigurava gigantesco, ou pedia desculpa ou era castigada, optei num esforço quase hercúleo pela primeira hipótese, livrei-me da régua mas senti um misto de emoções contraditórias que passavam pelo orgulho ferido e o alívio e satisfação por ter ganho uma batalha.

 

Lembrei-me deste episódio quando há dias a filha de uma amiga me estragou sem querer uma pulseira. A menina tem apenas três anos e meio.

- Pede desculpa - dizia a mãe

- Não- respondia a filha

E num tempo que parecia não ter fim em que todos os envolvidos viviam momentos angustiantes, eu, porque era o motivo daquela cena e os pais por não conseguirem demover a filha e que após longos minutos apenas conseguiu balbuciar :-Mamã eu não consigo. Como eu a entendi!

-Então, filha eu hoje também não vou conseguir contar-te a história antes de adormecer.

Não era a primeira vez que a menina demonstrava ter um enorme orgulho e grande dificuldade em pedir desculpa e os pais desabafando comigo estavam preocupados porque estava difícil arranjarem estratégias para debelar esta falha.

Nessa noite não houve história nem mimos, mas por parte da criança não houve exigências e adormeceu sozinha.

 

No dia seguinte estávamos a almoçar descontraidamente quando sem esperar ouvi espantada:- Desculpa ter estragado a tua pulseira, foi sem querer.

Ficámos emocionadas, aplaudimos e sentimos apoderar-se de nós um grande alívio por mais esta conquista.

 

Hoje continuam a existir pessoas que magoam, que machucam os outros, sobretudo as mais frágeis e que cobardemente se afastam, fingem ignorar, desligam e seguem caminho indiferentes às mágoas que causaram aos outros, simplesmente ou talvez porque em pequenos não tiveram ninguém que lhes ensinasse a cultivar a humildade.

 

Sem dificuldade e de coração aberto e sem esforço  consigo dizer : Desculpa-me... mas há uma canção que nunca esqueço

 

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil