Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Manu

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

Cantinho da Manu

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

Num dia de maré vazia

 

Sentei-me na areia ainda húmida daquela praia deserta de um qualquer dia de outono, em que a brisa suave me envolvia num refrescante momento em que deixei voar as emoções.

 

Uma ou outra gaivota rasgava o céu e as ondas vagarosamente se espraiavam no areal,  desenhando curvas de espuma branca e banhando os pequenos seixos transformando-os momentaneamente em pequenos cristais de luz.

 

Respirei o aroma da maresia e naquele instante transportei meus pensamentos, meus sonhos e emoções em cada vaga ondulante que ia e vinha.

 

Peguei numa pequena pena de gaivota perdida no areia e escrevi tudo o que a nostalgia de dias já vividos e sofridos se finassem como que por magia.

 

Mágoa, mentira e ilusão, três palavras apenas que escrevi naquela areia, na esperança de que quando a maré enchesse, levasse para bem longe sentimentos que quis abolir de vez, na esperança de que um dia talvez eu voltasse àquela praia de coração renovado e feliz , onde pudesse reescrever outras emoções, outro sentir, alegrias, amor, cumplicidade e sobretudo toda a verdade.

 

E por ali fiquei esperando por uma vaga alterosa levasse tudo o que povoa o meu coração já cansado e renovasse uma vida, a minha vida.

 

 

Manual para 2011/2012

 

Foto minha

 

 

Saúde:

1.     Bebe muita água
2.     Come ao pequeno-almoço como um rei, ao almoço como um príncipe e ao jantar como um pedinte;
3.     Come o que nasce em árvores e plantas, e menos comida produzida em fábricas;
4.     Vive com os 3 E's: Energia, Entusiasmo e Empatia;
5.     Arranja tempo para rezar;
6.     Joga mais jogos;
7.     Lê mais livros do que leste em 2010;
8.     Senta-te em silêncio pelo menos 10 minutos por dia;
9.     Dorme 7 horas por dia;
10.   Faz caminhadas de 10-30 minutos por dia, e enquanto caminhas sorri.

 


 Personalidade:

11.   Não compares a tua vida ao dos outros. Não fazes ideia de como é a caminhada dos outros;
12.   Não tenhas pensamentos negativos ou coisas de que não tens controle;
13.   Não te excedas. Mantém-te nos teus limites;
14.   Não te tornes demasiado sério. Ninguém se torna;
15.   Não desperdices a tua energia preciosa em fofoquices;
16.   Sonha mais acordado;
17.   Inveja é uma perca de tempo. Já tens tudo que necessitas....
18.   Esquece questões do passado. Não lembres o teu parceiro dos seus erros do   passado. Isso destruirá a vossa felicidade presente;
19.   A vida é curta de mais para odiar alguém. Não odeies os outros.
20.   Faz as pazes com o teu passado para não estragares o teu presente;
21.   Ninguém comanda a tua felicidade a não ser tu;
22.   Tem consciência que a vida é uma escola e que estás nela para aprender. Problemas são apenas parte do curriculum que aparecem e se desvanecem como uma aula de álgebra mas as lições que aprendes perduram uma vida inteira;
23.   Sorri e ri mais;
24.   Não necessitas de ganhar todas as discussões. Aceita a discordância;

 

Sociedade:

25.   Contacta a tua família frequentemente;
26.   Dá algo de bom aos outros diariamente;
27.   Perdoa a todos, por tudo;
28.   Passa tempo com pessoas acima de 70 anos e abaixo de 6;
29.   Tenta fazer sorrir pelo menos três pessoas por dia;
30.   Não te diz respeito o que os outros pensam de ti;
31.   O teu trabalho não tomará conta de ti quando estás doente. Os teus amigos o farão. Mantém contacto com eles.

 

A Vida:
32.   Faz o que é correcto;
33.   Desfaz-te do que não é útil, bonito ou alegre;
34.   DEUS cura tudo;
35.   Por muito boa ou má que a situação seja.... Ela mudará...
36.   Não interessa como te sentes, levanta-te, arranja-te e aparece;
37.   O melhor ainda está para vir;
38.   Quando acordas vivo de manhã, agradece a DEUS pela graça.
39.   O teu interior está sempre feliz. Portanto sê feliz.

 

Não fui eu que inventei este manual, mas não custa nada tentar colocar em prática alguns destes conselhos. 

 

Tudo passa tão depressa!

Tão bom viver dia a dia…
A vida assim, jamais cansa…
Viver tão só de momentos
Como estas nuvens no céu…
E só ganhar, toda a vida,
Inexperiência… esperança…
E a rosa louca dos ventos
Presa à copa do chapéu.
Nunca dês um nome a um rio:
Sempre é outro rio a passar.
Nada jamais continua,
Tudo vai recomeçar!
E sem nenhuma lembrança
Das outras vezes perdidas,
Atiro a rosa do sonho
Nas tuas mãos distraídas…

(Mário Quintana)
 

 

Vou abrir a porta do meu canto e sair por uns tempos

Martin Luther king disse um dia que "O tempo é sempre certo para fazer o que está certo".

 

Não sei se é certo o tempo que tenho.

Dúvidas há-as sempre quando temos de tomar decisões e fazer escolhas

Deixar de arriscar, ousar, procurar outras formas de viver e ser não é apanágio desta alma inquieta que há uns anos anda por aqui.

Fazer, só por fazer, não e nem nunca será a minha maneira de ser e de estar.

Quero sentir o que faço, o que escrevo, o que leio, o que quero encontrar.

 

A eterna descoberta de novos caminhos, outros objectivos, outra maneira de ver e viver a vida, impedem-me de estar por aqui durante uns tempos.

A minha vida é feita de momentos, de surpresas de imprevistos e aceito-os como sinais de que algo deve mudar e ser transformado.

 

Verificar que não consigo responder a quantos com carinho, dedicação e amizade que se foi solidificando, dói-me, não tem a ver com a minha maneira de estar e ser, é como se alguém conversasse comigo e eu não desse atenção e mostrasse desinteresse em ouvir, opinar, partilhar e sobretudo corresponder à amizade e carinho que tantos me devotam.

 

Portanto meus amigos, vou escancarar a porta deste meu canto, mas as minhas visitas essas continuarão com a assiduidade que me for possível.

Não quero esquecer ninguém e todos terão neste canto um lugar especial cheio de afecto, cumplicidade e palavras amigas e solidárias.

 

E já que as palavras escasseiam, as ideias se esvaem continuarei com a minha paixão de sempre no meu blog

 

EXISTE UM OLHAR.

 

Até sempre!

O estudo confere ciência, a meditação originalidade

"Todos ouvimos falar já há muito tempo sobre meditação. Essa prática foi divulgada no ocidente a partir dos anos sessenta, junto com o movimento hippie. Como tudo que é novo e desconhecido, e como a proposta do movimento hippie era a de rompimento com o que já não funcionava mais e a introdução de uma cultura mais livre e feminina como a oriental, a meditação foi, por muito tempo, vista como uma actividade “de loucos”.

Hoje a ciência comprova: a meditação somente nos traz benefícios, pois ela nos proporciona a possibilidade de encontro com aquilo que há de mais profundo dentro de nós. Ela equilibra as emoções, nos põe em contacto com nosso subconsciente, provoca o relaxamento através do “esvaziamento” de nosso campo mental, sua prática constante desenvolve a concentração e o autocontrole, equilibra a ansiedade, além de nos direccionar por um caminho espiritual mais consistente e realizador." (Bem de saúde)

 

Durante muito tempo fiz meditação, levei outros a fazê-la também, ensinei como se faz, pratiquei-a em grupo e sozinha. Algumas das pessoas que se cruzaram no meu caminho confessaram-me que nunca conseguiam fazê-lo.

 

Meditar não tem nada a ver com religião e qualquer pessoa pode fazê-lo, com o propósito único de durante alguns momentos deixar de pensar, esvaziar a mente, deixar espaço para que novas ideias preencham o nosso quotidiano, dar lugar ao novo. Uma mente cheia de lixo, de pensamentos negativos, muitas vezes causados pelo stress do dia a dia, é meio caminho andado para que se gerem bloqueios e o cansaço e falta de entusiasmo sejam constantes.

 

Quando se fala em meditar há muita gente que imagina que se  têm de colocar naquela posição típica dos orientais...pernas cruzadas, olhos semicerrados e silêncio total.

 

Também eu pensava assim, e era desta forma que aqui no meu canto o fazia.

O tempo foi passando e até eu me cansei desta prática, até que há bem pouco tempo me ensinaram uma outra maneira de o fazer independentemente do local onde esteja.

`

É simples e dá óptimos resultados.

Quem quiser pode experimentar, afinal trata-se apenas de deixar de pensar, ou melhor concentrar-se apenas na respiração:

Inspira-se em seis tempos, retém-se o ar em três e expira-se em oito tempos.

Pode-se fazer no trabalho, em casa, mesmo com barulho à volta, num parque, num passeio, onde apetecer e quando sentirem necessidade disso.

 

Fica a sugestão, em mim tem tido efeitos extraordinários e coincidência ou não, depois deste exercício acontece sempre algo de novo e de bom para a minha vida.

 

 

A sensação de ser livre e de poder viver

 

 

Liberdade não é somente a sensação de estar livre, mas também, de se poder viver.

(Mário Pires)

 

A sensação de estar e ser livre sempre me acompanhou desde que me lembro de ser gente.

Nunca fui capaz de me prender a coisas, a pessoas e a objectos.

E lidas estas palavras, pode-se pensar em egoísmo, em solidão, ou numa vida em que mesmo as pequenas emoções me passam ao lado...nada de mais falso.

 

A minha liberdade, aquela como a sinto, como a vivo, como a sonho, é aquele momento em que me desprendo, que  me solto, que me evado da prisão de sentimentos alheios, de merecimentos, de cobranças, de pertencer a algo ou alguém que não seja o meu "eu".

 

Hoje cheguei a casa já a noite tinha caído. Acendi as luzes, fiz um chá e sentei-me, pensando no dia que foi inundado de emoções inesperadas e de acontecimentos nunca programados.

 

De repente ouço um restolhar estranho. Como tenho as janelas quase sempre abertas pensei tratar-se de algum insecto daqueles barulhentos e que se sentiu ofuscado pela luz...mas não...empoleirado no candeeiro da sala lá estava um passarinho.

 

Senti-lhe o medo, a desorientação que nesse momento foi tão grande como a minha.

-Que fazer para que ele encontrasse o caminho? Apaguei e acendi vezes sem conta o candeeiro e nada. Aproximei-me e assustado voou à toa contra os móveis, empoleirando-se aqui e ali. Por momentos cheguei a pensar no pior, não fosse um voo mais violento fazer com que caísse inerte nalgum canto da sala.

 

Devagar , muito devagar, com uma manta leve, deixou que o envolvesse e que lhe devolvesse de novo a liberdade.

 

Respirei de alívio e nessa altura vi confirmadas todas as minhas ideias sobre a vida e do modo de voar que quero para mim e para todos os que amo.

 

 

Mais sobre mim

imagem de perfil