Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Manu

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

Cantinho da Manu

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

Sou o que não descobriste de mim

laisselle-sandrineboulet

 

Quero ser o que nunca descobriste de mim
Sentir o que fui e sou
Pouco importa se foi o que esperavas

apenas mais uma que contigo se cruzou

que se entregou, que se deu por inteiro

que  julgou que os beijos trocados significavam o sentir de quem amou
Oh ilusão cruel de tantas noites enleados

acorrentados num porto onde a brisa suave nos embalou.

Vãs quimeras que o vento levou!

Hoje sinto-te como uma ilusão que o destino quis separar.

Ficarão para sempre as memórias de quem nunca soube quem sou

Sem nada esperar

 

Habituei-me a não esperar nada nem por ninguém.

 

Vivo os meus dias ao sabor dos ventos, da brisa suave, da calmaria dos dias cinzentos e mornos ou de outros ensolarados.

 

Sou como o tempo que passa e que eu não quero dar por ele, embora ele teime em deixar marcas que umas vezes são indeléveis, outras cicatrizes que demoram a sarar.

 

A noite que povoa a minha vida traz-me o luar onde me aninho contemplando as estrelas e escolha uma delas para conversar, sei que guarda os meus segredos, que me ilumina quando  teimo em não sair da escuridão.

 

Quando de manhã os primeiros raios de sol se entrelaçam nos meus dedos e iluminam os meus olhos vivo na luz que me envolve, abro a janela do coração e amo o que vive em mim e esqueço o que foi, o que era e tudo o que ilusoriamente  julgava ser meu.

 

E neste embalo me equilibro, sem pedir, sem julgar, sem duvidar, apenas vivendo sem te esperar.

 

Um agradecimento neste Natal

Para ti que encheste os meus dias de sorrisos e cumplicidade

Para ti que me deste força e ânimo nos momentos mais difíceis.

Para ti que te fizeste presente quando eu menos esperava

Para ti que partiste e me deixaste o coração despedaçado

Para ti que me faltaste ao respeito e me usaste de forma egoísta.

Para ti que me criticaste e nem sequer ouviste as minhas justificações

Para ti que me traíste trocando-me como quem muda de roupa

Para ti que me amaste e eu não consegui retribuir

Para ti que que esperavas mais de mim e não dei por isso

Para ti que me olhaste com olhos tristes como que pedindo socorro e eu passei sem te olhar

Para ti que me brindaste com a tua sincera amizade sem esperar nada em troca.

Para ti que roubaste sem escrúpulos o que de melhor sou

Para ti que não soubeste decifrar o quanto te amava

Para ti que com o sofrimento que me infligiste me tornaste uma mulher mais forte e tolerante.

Para todos o meu agradecimento por me fazerem entender que não apareceram na minha vida por acaso.

Cresci

Aprendi

Aceitei

 

Será que tenho escrito na cara "Parva"?

Foto minha

 

Sei que não tenho o QI do Einsten e que estou muito aquém dos supra sumos que povoam o nosso universo intelectual.

 

Sou lúcida o suficiente para saber até onde posso ir e do que posso fazer.

 

Também tenho consciência das minhas capacidades físicas e intelectuais, se são muitas ou poucas, não interessa o mais importante para mim é mesmo tentar valorizar, respeitar e ajudar sempre que possível os outros.

 

Sou sensível e com uma intuição que dia para dia vai aumentando o que em certas circunstâncias pode causar um certo desconforto, porque me apercebo de coisas que calo, mas que sinto.

 

Por vezes dou por mim a pensar que se nos remetêssemos ao tempo em que ainda não existia linguagem, apenas telepatia, eu seria uma expert.

 

Daí a minha consternação e revolta quando me prometem algo que eu sei de antemão que não podem cumprir, ou ainda quando afirmam com tanta certeza certas verdades que eu sinto que são puras mentiras.

 

Como reajo? Pois se calhar não será da melhor forma, porque em vez de confrontar, de argumentar, finjo que sim.

 

Talvez esta não seja mesmo a melhor postura, mas é uma forma de pensarem que sou parva e mais tarde ou mais cedo, iludidos(as) com a minha ingenuidade mascarada a verdade vem sempre ao de cima.

 

Agora ando aqui num dilema, ou continuo a fingir que sou parva ou então viro a mesa e digo logo tudo o que me desagrada, me entristece, me corrói a alma, me constrange e me despedaça o coração.

 

Se calhar o melhor mesmo é tirar a máscara.

 

 

Sem arrependimento

Porque tudo o que não me mata torna-me mais forte

Porque não me arrependo dos erros que cometi

Porque sou quem passa pela vida com a força que não quero perder

Porque o que me dão é sempre mais do que desejo, até mesmo o sofrimento

Porque todas a alegrias são vividas com  entusiasmo e agradecimento

Porque quem passa por mim, me ensina sempre algo que me faz crescer.

Porque acima de tudo me respeito e respeito o outro.

Porque as minhas escolhas nem sempre são as melhores, mas as possíveis.

Porque a vida me ensinou a perdoar e a esquecer o que magoa.

Porque fico eternamente grata, por cada momento que vivi de sorriso no olhar e de coração aberto

Porque aceito as ausências com  serenidade

Porque tudo o que mereço me será dado no tempo certo.

Porque sou assim...MULHER.

 

 

All that I wanted

 
 
 
Como pano de fundo o mar de Peniche, um local que gosto de fotografar e uma música que me seduziu e me deixou embalada nesta tarde chuvosa e triste de um dia de Novembro, que é o retrato perfeito do que me vai na alma.
Dias assim é para deixar correr e esperar que amanhã o sol brilhe de novo, se não for lá fora , que seja dentro de mim, it`s all that I want.
 
 
 
 

Tudo é transitório

 

Por vezes dou por mim a desejar que as coisas boas permaneçam e as menos boas desapareçam, mas a vida têm-me ensinado que tudo é transitório, por mais que eu deseje a eternidade dos bons sentimentos, das emoções que me deixam a levitar, dos sonhos e desejos que construo em cada amanhecer, que momentos de beleza intemporal estejam permanentemente diante dos meus olhos, que nada me seja tirado quando estou feliz.... de repente vem a realidade e mostra-me que não posso, não consigo que um amor perdure, que os amigos não se afastem, que a dor de uma perda se desvaneça, que o aconchego de um abraço não aconteça quando mais preciso dele.

 

E neste vaivém transitório e oscilante, tento equilibrar-me, estar atenta, não ceder quando pela frente encontro muros que parecem intransponíveis, aprendendo a contornar obstáculos e a sair ilesa, mais forte, mais segura, mais confiante, acreditando sempre que tudo é efémero.

 

Saber conviver com a impermanência das coisas é meio caminho andado, para que se instale em mim a tranquilidade que tanto desejo.

 

 

Vou abrir a porta do meu canto e sair por uns tempos

Martin Luther king disse um dia que "O tempo é sempre certo para fazer o que está certo".

 

Não sei se é certo o tempo que tenho.

Dúvidas há-as sempre quando temos de tomar decisões e fazer escolhas

Deixar de arriscar, ousar, procurar outras formas de viver e ser não é apanágio desta alma inquieta que há uns anos anda por aqui.

Fazer, só por fazer, não e nem nunca será a minha maneira de ser e de estar.

Quero sentir o que faço, o que escrevo, o que leio, o que quero encontrar.

 

A eterna descoberta de novos caminhos, outros objectivos, outra maneira de ver e viver a vida, impedem-me de estar por aqui durante uns tempos.

A minha vida é feita de momentos, de surpresas de imprevistos e aceito-os como sinais de que algo deve mudar e ser transformado.

 

Verificar que não consigo responder a quantos com carinho, dedicação e amizade que se foi solidificando, dói-me, não tem a ver com a minha maneira de estar e ser, é como se alguém conversasse comigo e eu não desse atenção e mostrasse desinteresse em ouvir, opinar, partilhar e sobretudo corresponder à amizade e carinho que tantos me devotam.

 

Portanto meus amigos, vou escancarar a porta deste meu canto, mas as minhas visitas essas continuarão com a assiduidade que me for possível.

Não quero esquecer ninguém e todos terão neste canto um lugar especial cheio de afecto, cumplicidade e palavras amigas e solidárias.

 

E já que as palavras escasseiam, as ideias se esvaem continuarei com a minha paixão de sempre no meu blog

 

EXISTE UM OLHAR.

 

Até sempre!

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D