Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Manu

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

Deita fora o que não precisas

 

Tens o hábito de guardar objectos inúteis acreditando que um dia vais precisar deles?

Tens o hábito de juntar dinheiro sem gastá-lo porque imaginas que ele te poderá fazer falta no futuro?

Tens o hábito de guardar roupas, sapatos, móveis, utensílios domésticos e outras coisas que já não usas há muito?

E dentro de ti?

Tens o hábito de guardar raivas, ressentimentos, tristezas, medos e outros sentimentos negativos?

 

Não faças isso, vai contra a tua prosperidade.

É preciso deixar um espaço, um vazio para que novas coisas cheguem à tua vida.

É preciso desfazeres-te do inútil que há em ti e na tua vida para que a prosperidade possa acontecer

A força desse vazio é que absorverá tudo o que desejas

 

Se acumulares objectos e sentimentos velhos e inúteis

Não terás espaço para novas oportunidades

 

Os bens necessitam circular.

Limpa as gavetas, os armários, a garagem...a mente

Dá tudo o que já não usas

 

Quando se guarda considera-se a possibilidade de falta e de carência

Há que confiar no amanhã

E que coisas boas virão.

Deixa entrar o novo em tua casa e até dentro de ti!

 

 

O estudo confere ciência, a meditação originalidade

"Todos ouvimos falar já há muito tempo sobre meditação. Essa prática foi divulgada no ocidente a partir dos anos sessenta, junto com o movimento hippie. Como tudo que é novo e desconhecido, e como a proposta do movimento hippie era a de rompimento com o que já não funcionava mais e a introdução de uma cultura mais livre e feminina como a oriental, a meditação foi, por muito tempo, vista como uma actividade “de loucos”.

Hoje a ciência comprova: a meditação somente nos traz benefícios, pois ela nos proporciona a possibilidade de encontro com aquilo que há de mais profundo dentro de nós. Ela equilibra as emoções, nos põe em contacto com nosso subconsciente, provoca o relaxamento através do “esvaziamento” de nosso campo mental, sua prática constante desenvolve a concentração e o autocontrole, equilibra a ansiedade, além de nos direccionar por um caminho espiritual mais consistente e realizador." (Bem de saúde)

 

Durante muito tempo fiz meditação, levei outros a fazê-la também, ensinei como se faz, pratiquei-a em grupo e sozinha. Algumas das pessoas que se cruzaram no meu caminho confessaram-me que nunca conseguiam fazê-lo.

 

Meditar não tem nada a ver com religião e qualquer pessoa pode fazê-lo, com o propósito único de durante alguns momentos deixar de pensar, esvaziar a mente, deixar espaço para que novas ideias preencham o nosso quotidiano, dar lugar ao novo. Uma mente cheia de lixo, de pensamentos negativos, muitas vezes causados pelo stress do dia a dia, é meio caminho andado para que se gerem bloqueios e o cansaço e falta de entusiasmo sejam constantes.

 

Quando se fala em meditar há muita gente que imagina que se  têm de colocar naquela posição típica dos orientais...pernas cruzadas, olhos semicerrados e silêncio total.

 

Também eu pensava assim, e era desta forma que aqui no meu canto o fazia.

O tempo foi passando e até eu me cansei desta prática, até que há bem pouco tempo me ensinaram uma outra maneira de o fazer independentemente do local onde esteja.

`

É simples e dá óptimos resultados.

Quem quiser pode experimentar, afinal trata-se apenas de deixar de pensar, ou melhor concentrar-se apenas na respiração:

Inspira-se em seis tempos, retém-se o ar em três e expira-se em oito tempos.

Pode-se fazer no trabalho, em casa, mesmo com barulho à volta, num parque, num passeio, onde apetecer e quando sentirem necessidade disso.

 

Fica a sugestão, em mim tem tido efeitos extraordinários e coincidência ou não, depois deste exercício acontece sempre algo de novo e de bom para a minha vida.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D