Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Manu

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

Cantinho da Manu

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

Há músicas que marcam momentos

Quase toda a gente tem uma música que guarda com saudade de um momento que lhe trouxe à memória, felicidade, enamoramento ou paixão.

Hoje apeteceu-me recordar uma dessas músicas que começava com uma frase que eu gostava de dizer todos os dias:

"Yesterday, all my troubles seemed so far away..." Foi assim há muitos anos.

 

publicado às 18:27

Tudo passa tão depressa!

Tão bom viver dia a dia…
A vida assim, jamais cansa…
Viver tão só de momentos
Como estas nuvens no céu…
E só ganhar, toda a vida,
Inexperiência… esperança…
E a rosa louca dos ventos
Presa à copa do chapéu.
Nunca dês um nome a um rio:
Sempre é outro rio a passar.
Nada jamais continua,
Tudo vai recomeçar!
E sem nenhuma lembrança
Das outras vezes perdidas,
Atiro a rosa do sonho
Nas tuas mãos distraídas…

(Mário Quintana)
 

 

publicado às 09:59

Silêncio

Lá fora ficaram as montras, os devaneios, os sorrisos, a vaidade...banalidades que me acompanharam sem certezas de verdades.

Lá fora quem fui?... Menina?... Mulher?... Mentira?... Ou apenas um pouco de nada?

Agora cá dentro, quero desafiar o tempo, passar-lhe á frente, ignorá-lo, como se o tempo que tenho, não fosse aquilo que  resta.

Ficou  a noite... o despir de tudo o que fui.

Ficou o silêncio de um quarto, de um sonho desfeito, de um presente, de um momento, de um olhar, de suspiros, de saudade...

 

 

publicado às 07:40

Ausência

 

Hoje quero passar ao de leve pela vida, duvidar do meu eu, não ter consciência do momento e fugir da minha realidade. Quero vegetar irracionalmente e que as emoções me passem ao lado como se fosse uma brisa inofensiva que não deixa rasto.

Não quero lágrimas nem risos, nem sentidos despertos.

Quero que os olhos vejam sem olharem, quero semicerrá-los e não definir traços, contornos, cores...

Os ouvidos ficarão imunes ao som da música , do canto dos pássaros ou do barulho do mar.

Os meus braços desajeitados, flutuarão à deriva pelo meu corpo, sem encontrarem a solidez de um apoio, contorcer-se-ão, rodarão em movimentos desconexos e involuntários.

Quero planar acima da realidade,  que o corpo deixe de  ser. 

Quero ser embalada por uma lucidez irracional, ser envolvida, por um estado de semi inconsciência, um torpor e uma percepção indefinível de uma realidade recusada.

.Seduz-me esta fuga do real.

Os olhos que antes brilhavam com o nascer do sol, com o riso da criança, com a pequena flor que nasceu no meio do mato, a lua na noite calma, o mar em dias ensolarados, a pintura que está ali...deixaram de cumprir a missão de janelas para o mundo.

O conforto da ausência de emoções  é um estado ilusório de bem estar e de impunidade .

Observo lá do alto, alheia, imperturbável, intocável, saindo incólume de todas as agressões, gozando uma fuga que me atrai e que se confunde com a realidade. 

publicado às 11:02

MOMENTOS

Quando um dia chegares, os meus olhos brilharão como duas estrelas que iluminam a escuridão da tua ausência.

Os meus braços serão pequenos para te acolher, mas o tamanho da minha emoção será suficiente para que percebas a plenitude dos meus sentimentos.

Voaremos para um mundo que só a nós pertence, construiremos lá o nosso castelo de sonhos. nada nem ninguém ousará invadir os momentos que queremos eternizar.

Teremos apenas a Lua como testemunha, assim quando estivermos separados e surgir aquela dorzinha da saudade olharemos para ela e lembraremos que as nossas almas e nossos corações estarão sempre ligados apesar da distância.

Lembra-te sempre, que se tu te atrasares demais, poderei esperar-te o resto da minha vida.

                     

                                       

                                        

 

publicado às 17:05

Mais sobre mim

imagem de perfil