Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cantinho da Manu

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

Cantinho da Manu

"Quando duas pessoas partilham um pão, cada uma volta com um. Quando partilham ideias, voltam com duas." (Buda)

Aquilo que a imprensa não publicou

 

Já há alguns dias que tenho guardado um email que uma amiga me enviou e não me passou pela cabeça publicá-lo, não fosse o Professor Marcelo Rebelo de Sousa, ter falado no assunto  ontem na TVi. Ninguém além dele se dignou falar do saldo positivo e da boa prestação dos professores de acordo com o relatório de PISA e que só foi publicado tanto quanto sei , por Margarida Rufino no Jornal de Cascais.

 

No meio do cizentismo que se vive em relação aos professores atrevo-me a divulgar algumas das conclusões a que chegou o referido relatório e que abonam e favor dos professores.

 

Mais de 90% dos alunos portugueses afirmaram ter uma imagem positiva dos seus professores!
 

O relatório conclui que os professores portugueses são os que têm a imagem mais positiva de entre os docentes dos 33 países da OCDE, tendo em 2006 aumentado 10 pontos percentuais.

 

Portugal é o sexto pais da OCDE cujo sistema educativo melhor compensa as assimetrias sócio/económicas!

 

E ainda refere que o nosso país tem a maior percentagem de alunos carenciados com excelentes níveis de desempenho em leitura.
 

Margarida Rufino continua:

"Como diz a quase totalidade dos alunos, os professores são excelentes pessoas que estão sempre disponíveis para ajudar os seus alunos. Esta é que é a realidade dos professores das escolas do ensino básico e secundário! Obviamente que, como em todas as demais classes profissionais, haverá excepções à regra, aqueles que não cumprem, não assumem as suas responsabilidades, não justificam o ordenado que recebem. Mas, assim como uma andorinha não faz a primavera, também uma ovelha negra não estraga um rebanho.
 

Estas evidências são altamente abonatórias para os professores portugueses e deveriam ter sido amplamente divulgadas pelos órgãos de comunicação social ( e pelos habituais "fazedores de opinião" luxuosamente remunerados que escrevem para os jornais ou são comentadores na rádio e na televisão) que ostensivamente consideram que os professores do ensino básico e secundário uma classe pouco profissional, com imensos privilégios e luxuosas remunerações..."
 

Estranha-se o silêncio, mas que não se calem as palavras e que se reponha a justiça sobre a entrega, profissionalismo e bom desempenho dos professores.

publicado às 21:05

Ah! Querem que eu dê aulas!...

Há algum tempo que acabaram as aulas e durante uma época gerou-se na sociedade a ideia de que os professores tinham férias a mais, sem haver a preocupação de ver o que se passava para além do tempo lectivo. Importava acabar com essa ideia e vai daí inventaram-se mil e uma actividades para ocupar os senhores professores que tinham uma vidinha boa, esquecendo toda a burocracia a que estão sujeitos depois do tempo lectivo.
Hoje o panorama é caricato e desinamador e os professores viram o seu papel de formadores relegado para segundo plano, caindo-lhes em cima uma avalanche de trabalhos que nada têm a ver com o que mais gostam de fazer que é ensinar.
A mensagem enviada para o facebook por uma professora, ilustra de forma perfeita o abuso e a falta de bom senso por parte de quem manda (ministério e direcções de escola) quando se inventam todos os dias novas formas de gastar tempo dinheiro e esgotarem a paciência de todos os envolvidos.
  
E a mensagem reza assim:
 
 
Faço projectos, planos, planificações;
Sou membro de assembleias, conselhos, reuniões;
Escrevo actas, relatórios e relações;
Faço inventários, requerimentos e requisições;
Escrevo actas, faço contactos e comunicações;
Consulto ordens de serviço, circulares, normativos e legislações;
Preencho impressos, grelhas, fichas e observações;
Faço regimentos, regulamentos, projectos, planos, planificações;
Faço cópias de tudo, dossiers, arquivos e encadernações;
Participo em actividades, eventos, festividades e acções;
Faço balanços, balancetes e tiro conclusões;
Apresento, relato, critico e envolvo-me em auto-avaliações;
Defino estratégias, critérios, objectivos e consecuções;
Leio, corrijo, aprovo, releio múltiplas redacções;
Informo-me, investigo, estudo, frequento formações;
Redijo ordens, participações e autorizações;
Lavro actas, escrevo, participo em reuniões;
E mais actas, planos, projectos e avaliações;
E reuniões e reuniões e mais reuniões!...

E depois ouço,
alunos, pais, coordenadores, directores, inspectores,
observadores, secretários de estado, a ministra
e, como se não bastasse, outros professores,
e a ministra!...

Elaboro, verifico, analiso, avalio, aprovo;
Assino, rubrico, sumario, sintetizo, informo;
Averiguo, estudo, consulto, concluo,
Coisas curriculares, disciplinares, departamentais,
Educativas, pedagógicas, comportamentais,
De comunidade, de grupo, de turma, individuais,
Particulares, sigilosas, públicas, gerais,
Internas, externas, locais, nacionais,
Anuais, mensais, semanais, diárias e ainda querem mais?
...
Ah!
Querem que eu dê aulas!...
publicado às 21:43

Em Helsínquia

Em 2005 tive oportunidade de  participar durante uma semana numa visita de estudo que decorreu em Helsínquia no âmbito do programa Sócrates ( filósofo... não confundir com o nosso engenheiro).

Eu e outros participantes de vários países da Europa tomámos conhecimento sobre  alguns dos aspectos mais relevantes do sistema educativo deste país.

Trabalhámos arduamente durante toda a estadia. Não foi fácil , mas foi sem dúvida umas das melhores experiências a nível profissional que tive.

Não vou aqui falar do sistema educativo, da economia, da história...da Finlândia, mas quero deixar aqui alguns dos factos que mais me impressionaram durante a visita.

 

Cheguei ao hotel; informaram-me que teria de ir à estação de metro mais próxima e comprar um passe que me iria permitir deslocar durante a estadia. ( Pensei que haveria um autocarro para nos transportar ).

 

No dia a seguir, ás 8h e 30m estávamos na recepção onde uma senhora nos recebeu e nos deu as boas vindas. Aviso: (- Os horários terão de ser cumpridos, sei que alguns de vós vêm de países do sul da Europa e não estão habituados ao cumprimento de horários). Fiquei de boca aberta

 

Durante uma manhã ouvimos o ministro da justiça que se deslocou à escola onde estávamos a trabalhar. Nada de aparato, nem seguranças nem carros especiais. (Cá vão em carros topos de gama)

 

Uma grande parte dos impostos cobrados pelo estado é para a educação, tudo é gratuito e os livros passam de uns alunos para os outros.( Em Portugal também é assim)

 

Fomos recebidos pelo equivalente a um secretário de estado português, que teve a gentileza de nos oferecer um jantar num restaurante panorâmico lindíssimo. Fomos todos a pé, conversámos animadamente, nada de tratamento especiais. ( Em Portugal também é assim).

 

Os professores são a seguir aos polícias os mais valorizados, têm o reconhecimento público, bons salários, são constantemente treinados, actualizados e avaliados.

( Cá também)

 

O ensino é gratuito  durante 9 anos,( aqui íden)

 

Os finlandeses são leitores compulsivos, têm uma extensa rede de bibliotecas. A média de leitura anual é de 21 livros por pessoa, (se fossem telenovelas...agora livros...)

 

Apesar de ser um país cujo desenvolvimento tecnológico é notável principalmente a nível das telecomunicações, raramente vi alguém a falar ao telemóvel, ( se calhar não têm dinheiro para comprar um)

 

 Para ajudar a economia deste país pobrezito, vou comprar um N. , o meu deu o berro.

 

 

 

 

 

 

 

publicado às 14:30

Mais sobre mim

imagem de perfil